​Não faltou melão, música popular e muita alegria no Arraial do Melão Casca de Carvalho

Melão com abundância (e bastante qualidade), música popular e danças animadas. Boa comida e ‘boa pinga’. Assim foi a ementa para três dias consecutivos de festa na freguesia de Soutelo. A 9ª edição do Arraial do Melão Casca de Carvalho decorreu no passado fim de semana, de 10 a 12 de agosto, no Espaço Ténis, e atraiu a atenção de soutelenses, visitantes e dos ‘filhos da terra’ emigrados, que estão por cá em peso nesta altura do ano e assim puderam matar saudades das gentes e das boas tradições portuguesas. A iniciativa foi organizada pela Junta de Freguesia de Soutelo com o apoio de um grupo alargado de voluntários locais, que vestiram a camisola e mostraram o que é verdadeiramente trabalhar em equipa.

Ao longo da festa, o melão casca de carvalho não foi apenas usado como sobremesa, mas também foi aproveitado para a confeção de cocktails, resultado da criatividade soutelense. A gastronomia local era abundante e preparada para diferentes paladares. As mulheres diante das panelas e os homens dos grelhadores, todos trabalharam com gosto em prol da freguesia. As sardinhas, os frangos grelhados, o porco no espeto, o arroz de tomate, o vinho ou a cerveja foram algumas das iguarias servidas às várias mesas dispostas em fila no local. No recinto, o povo tinha também a oportunidade de visitar barraquinhas com diferentes produtos artesanais e doçaria, dinamizadas pelas associações locais.

O balanço é muito positivo

O Presidente da Junta, Filipe Silva, faz um balanço positivo do arraial. “Correu muito bem e não defraudou as expectativas elevadas que tínhamos para o evento. É algo que nos deixa satisfeitos, sentir que trabalhamos para o bem-estar e alegria dos outros. O sábado foi o dia com mais adesão, tivemos aqui uma grande enchente, o que também é habitual”, sublinha. Para o autarca soutelense, a iniciativa, que se insere Na Rota das Colheitas, do Município de Vila Verde, é uma forma de reavivar a genuína tradição do Minho, brindar a população local com momentos de puro lazer e bem receber os emigrantes. Tudo isto em torno de um produto com grande fama em Soutelo. “Esta festa também foi pensada para divulgar e promover o melão casca de carvalho. Para incentivar as gerações mais jovens ao cultivo com o intuito de preservar esta iguaria soutelense”, remata Filipe Silva.

Três dias de alegria e diversão

O programa contou com diferentes atuações. A abertura ficou a cargo do Sétima Vaga, um grupo musical com grandes momentos de diversão. No dia seguinte, foi a conhecida Maria Celeste e a respetiva banda, que ocupou o palco. No entanto, cantora das desgarradas não quis ficar só a olhar para ao público, desceu as escadas e juntou-se à multidão. À 00h30m, aconteceu o after hours com Dj Regy F, que pôs o pessoal a ‘abanar o capacete’ pela noite dentro. O último dia foi repleto de atividades. Logo pela manhã, realizaram-se dois passeios, um de motorizada, que percorreu diferentes lugares do Minho, e outro a cavalo, que atravessou vários caminhos da freguesia.

Pelas 17h, começou o encontro de folclore, os ranchos folclóricos de Cabanelas e o de Lago alegraram uma tarde bastante quente. A parte da noite começou com a intervenção musical de um jovem emigrante nos Estados Unidos da América que, com alguma emoção, cantou duas músicas para as dezenas de pessoas que estavam no recinto. A festa terminou com Ângelo Veloso (Anjinho) e Diana Monteiro. A dupla começou pelas brincadeiras das desgarradas e depois passaram para as cantigas do novo disco. Ouviram-se muitos aplausos e viu-se a diversão contagiante das pessoas, que iam dançando em roda de mãos dadas.

VENHA CONHECER SOUTELO!

Santuário do Alívio

Fonte S.Miguel

Praia do Mirante

Cruzeiro dos Evangelistas